TCU decide investigar Pazuello por falta de oxigênio em Manaus

A falta de oxigênio em Manaus (AM) levou o TCU a decidir pela abertura de uma investigação contra o ministério da Saúde, comandado pelo general Eduardo Pazuello. A decisão contou com apoio de Jorge Oliveira, ex-ministro de Jair Bolsonaro

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro e Eduardo Pazuello
Jair Bolsonaro e Eduardo Pazuello (Foto: Reprodução)


247 - O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou nessa quarta-feira (20) a abertura de uma investigação contra o ministério da Saúde, comandado pelo general Eduardo Pazuello, por falta de oxigênio em Manaus (AM), que sofre com o colapso na saúde devido à pandemia do coronavírus. A decisão contou com o voto de Jorge Oliveira, ex-ministro de Jair Bolsonaro. A informação foi publicada pela coluna Painel

Após determinação do Supremo Tribunal Federal, a Advocacia-Geral da União (AGU) enviou um ofício à Corte informando que o governo federal sabia do iminente colapso do sistema de saúde no Amazonas 10 dias antes da crise.

O procurador da República Igor Spindola havia informado que a causa principal para a falta de oxigênio foi a interrupção do transporte deste insumo pela Força Aérea Brasileira (FAB), ainda não se sabe por ordem de quem.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Bolsonaro afirmou que o governo federal "fez a sua parte", uma tentativa de se eximir da responsabilidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email