Visita de Pompeo à fronteira do Brasil e Venezuela é uma clara provocação, diz Celso Amorim

"É para dar um sinal de que os Estados Unidos continuam contando com o Brasil com uma eventual ação contra a Venezuela”, avaliou o ex-chanceler sobre a visita do secretário de Estado do governo Trump a Boa Vista (RR)

(Foto: ABr | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-chanceler Celso Amorim comentou nesta terça-feira, 15, o anúncio de que o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo,   fará uma visita à cidade de Boa Vista, capital de Roraima, na fronteira com a Venezuela, em meio à tensão com o país governado por Nicolás Maduro.

“É obviamente uma provocação. O que você vai fazer lá? Vai ter um encontro empresarial, vai ter o que? É para dar um sinal de que os Estados Unidos continuam contando com o Brasil com uma eventual ação contra a Venezuela”, afirmou Celso Amorim em entrevista ao jornalista Leonardo Attuch, na TV 247. Para Amorim, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, já demonstrou que não exclui a opção de uma ação militar na Venezuela. 

A agenda de Pompeu começa na próxima quinta-feira (17) e inclui visitas a Suriname, a Guiana e a Colômbia. Segundo o porta-voz do Departamento de Estado, Morgan Ortagus, em Boa Vista, Pompeo irá destacar "a importância do apoio dos Estados Unidos e do Brasil ao povo venezuelano". Ortagus anunciou que o secretário se reunirá com migrantes venezuelanos que fogem do "desastre" causado pelo governo de Nicolás Maduro. 

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista de Celso Amorim:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email