Bolsonaro recua e admite a aliados que poderá comprar vacina chinesa contra Covid-19 se Anvisa comprovar eficácia

Jair Bolsonaro teria admitido em conversas reservadas que o governo poderá adquirir o imunizante produzido pela chinesa Sinovac, caso ele seja o primeiro a ter sua eficácia comprovada pela Anvisa. Há duas semanas, ele vetou a compra alegando haver um "descrédito muito grande” em torno da vacina chinesa

Jair-Bolsonaro-vacina-China-CoronaVac
Jair-Bolsonaro-vacina-China-CoronaVac (Foto: ABR/Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro mudou de posição quanto ao boicote à compra da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Segundo reportagem do blog da jornalista Bela Megale, Bolsonaro teria admitido em conversas reservadas que o governo poderá adquirir o imunizante caso ele seja o primeiro a ter sua eficácia comprovada pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Há cerca de duas semanas, Bolsonaro desautorizou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que poucas horas antes havia assinado um protocolo de intenção de compra de 46 milhões de doses da vacina. Na ocasião, ele alegou existir um “descrédito muito grande” em torno da vacina chinesa. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247