“Fale com o ‘doutor’ Alexandre Garcia”, diz médico a seus pacientes negacionistas

Cardiologista Bruno Caramelli, que iniciou ação contra o Conselho Federal de Medicina por autorizar uso da hidroxicloroquina, relata que há pressão de pacientes para tomar medicamentos

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O médico cardiologista Bruno Caramelli, autor de representação contra o Conselho Federal de Medicina (CFM) por liberar o uso de medicamentos sem eficácia contra a Covid-19, brinca que, em suas conversas com pacientes que pedem o chamado kit Covid com base em argumentos de Alexandre Garcia, demitido recentemente da CNN justamente por defender o falso ‘tratamento precoce’, sugere que peçam conselhos então ao jornalista negacionista.

Em entrevista na TV 247 na noite deste sábado (9), o professor da USP comenta que muitas pessoas são enganadas pelas fake news sobre o tema, e acabam acreditando na eficácia desses medicamentos. Ele tenta explicar por que a classe médica também adrere ao discurso. “Por que os médicos estão acreditando nisso? Eu vou colocar algumas razões: primeiro medo de morrer e de perder seus entes queridos, por estarem pressionados; vantagem econômica; e a terceira e última razão, infelizmente, é que, se a instituição está me pressionando, ou se o paciente está me forçando, quem sou eu? Vai que eu não dou o kit precoce e o cara morre”.

Ao comentar o segundo tópico, da vantagem financeira, acrescentou: “Não foi só o Alexandre Garcia que ganhou dinheiro com a Covid contando fake news. Não. Aliás, eu tenho que discutir com alguns pacientes meus que vêm conversar sobre kit precoce. ‘Mas o Alexandre Garcia falou que tinha que dar esse remédio’. Eu falo ‘é, mas eu não concordo’. 'Então, mas o senhor pode dar uma olhada nos meus exames?’. Eu falo: ‘então o senhor fale com o doutor Alexandre Garcia, porque o senhor deve confiar mais nele’”.

PUBLICIDADE

A infectologista Ceuci Nunes, membra da Associação Brasileira de Médicas e Médicos pela Democracia na Bahia, que também participou do programa, acrescentou à fala de Caramelli mais um motivo para a classe médica aderir ao discurso negacionista: “eu acho que é questão ideológica também”. “Porque existe médico, bem formado, que até então acreditava na ciência, e por ideologia e apoio ao governo Bolsonaro, adotam essa posição. Isso eu também não tenho nenhuma dúvida. Que uma parte desses médicos é por ideologia”, afirmou.

‘Autonomia médica’

Bruno Caramelli explicou ainda que há uma distorção do uso da expressão “autonomia médica” pelo Conselho Federal de Medicina para autorizar médicos a receitarem a hidroxicloroquina. É um “discurso invertido, para enganar”, criado pela entidade para “autorizar e referendar o erro médico e prejudicar o paciente”, disse.

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email