Presidente da Anvisa cobra explicação do governo por demora em vacinar crianças e fala em número “macabro” de mortes

Para Barra Torres, o Ministério da Saúde deve dizer por que escolhe atrasar vacinação enquanto o país registra "estatística macabra" de mortes entre 5 e 11 anos

www.brasil247.com - Antonio Barra Torres
Antonio Barra Torres (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)


247 - O diretor-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antonio Barra Torres, cobrou explicações do Ministério da Saúde pela demora em iniciar a vacinação infantil contra a Covid-19 e falou em um número “macabro” de mortes na faixa etária de 5 a 11 anos. 

A autorização da vacinação de crianças já foi autorizada pela agência há uma semana, mas o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, abriu consulta pública para decidir sobre o tema. Mais tarde, Queiroga também minimizou o número de mortes de crianças na pandemia para justificar que o dado “não demanda decisões urgentes”.

Já para Barra Torres, a pasta deve dizer por que escolhe atrasar a campanha enquanto o país registra "estatística macabra" de mortes nessa faixa etária.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Nós temos 301 crianças mortas na faixa de 5 a 11 anos desde que a covid-19 começou até o início de dezembro. Nestes 21 meses, numa matemática simples, nós temos um pouquinho mais de 14 mortes de crianças ao mês, praticamente uma a cada dois dias. Então acho que essa informação à sociedade se faz necessária", disse em entrevista ao jornal O Globo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email