CPI quer convocar diretor da Abin para explicar “guerra química” citada por Bolsonaro

Senador Tasso Jereissati apresentou requerimento para que a CPI da Covid convoque o diretor-geral da Abin, Alexandre Ramagem. Objetivo é esclarecer a insinuação feita por Jair Bolsonaro de que o coronavírus teria sido criado em laboratório como parte de uma “guerra química“ promovida pela China

(Foto: Valter Campanato/Agencia Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) apresentou, nesta quinta-feira (6), um requerimento para que a CPI da Covid convoque o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, para prestar esclarecimentos sobre a insinuação feita por Jair Bolsonaro de que o coronavírus teria sido criado em laboratório como parte de uma “guerra química“ promovida pela China.  

Segundo Tasso, a acusação feita por Bolsonaro foi uma das “mais graves e sérias” já feitas por um presidente. “Se não for verdade, estamos fazendo uma injúria, uma calúnia ao maior fornecedor de vacinas”, ressaltou o parlamentar. 

Nesta quarta-feira (5), Bolsonaro disse que o coronavírus “é um vírus novo, ninguém sabe se nasceu em laboratório ou nasceu porque um ser humano ingeriu um animal inadequado. Mas está aí. Os militares sabem que é guerra química, bacteriológica e radiológica. Será que não estamos enfrentando uma nova guerra? Qual o país que mais cresceu seu PIB? Não vou dizer para vocês”. A  China foi o único país a crescer durante 2020, com um incremento de 2,3% em seu Produto Interno Bruto (PIB).

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email