Ex-diretor da Prevent Senior usava lema da SS nazista para motivar os funcionários

"O senhor mesmo que falou que era uma palavra de ordem. É a mesma da SS nazista", disse o vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues, ao confrontar Pedro Benedito Batista Júnior, diretor-executivo da Prevent Senior, que usava entre os seus funcionários um lema da Alemanha nazista, de Adolf Hitler

www.brasil247.com - Senador Randolfe Rodrigues, diretor-executivo da Prevent Senior, diretor-executivo da Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, Adolf Hitler e o símbolo da organização nazista Schutzstaffel
Senador Randolfe Rodrigues, diretor-executivo da Prevent Senior, diretor-executivo da Prevent Senior, Pedro Benedito Batista Júnior, Adolf Hitler e o símbolo da organização nazista Schutzstaffel (Foto: Agência Senado | Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), destacou nesta quarta-feira (22) que "obediência e lealdade" era um dos lemas usados por funcionários da Prevent Senior - o diretor-executivo da operadora, Pedro Benedito Batista Júnior, depõe na Comissão Parlamentar de Inquérito. A palavra de ordem "Minha Honra é lealdade" era usada pela Schutzstaffel - conhecida como SS (abreviação). Era uma organização paramilitar na época da Alemanha nazista, de Adolf Hitler (1889-1945).

"'Obediência e lealdade’, lema da SS. Não sei em qual contexto ela está. O que eu quero saber é de onde veio essa consigna, por que ela é utilizada. Exatamente qual é o contexto. O senhor mesmo que falou que era uma palavra de ordem. É a mesma da SS nazista", disse o parlamentar. "Foi em 2017 e foi abolido esse termo da empresa", respondeu o depoente.

Segundo Pedro Batista, o cirurgião cardiovascular Anderson Nascimento, que teria sido o responsável pelo uso da frase, está respondendo no Judiciário sobre o caso. "Tem um processo correndo em Justiça contra o doutor Anderson. Na verdade, em revelia ao desligamento, o senhor Anderson que entrou contra a Prevent e agora nós estamos fazendo a briga".

PUBLICIDADE

Depoimento

Em sua fala na CPI, o depoente confirmou que um estudo com o kit covid não precisou de autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). A operadora ocultou mortes de pacientes com a doença durante estudo para testar a eficácia da hidroxicloroquina, associada à azitromicina. O diretor afirmou que o estudo foi feito de maneira "observacional, partindo das prescrições médicas".

Senadores confrontaram o depoente. "A Prevent Senior não é um plano de saúde, é um plano macabro de mortes", afirmou o relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL). "O senhor não tem condição de ser médico", afirmou o senador Otto Alencar (PSD-BA) durante a sessão

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email