Omar Aziz pede convocação de Ricardo Barros à CPI da Covid-19

Parlamentares que integram a CPI da Covid apoiaram o pedido para a convocação do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, e podem colocá-lo em votação na sessão desta terça-feira (29)

www.brasil247.com - Presidente da CPI da Covid, Omar Aziz, e o deputado Ricardo Barros
Presidente da CPI da Covid, Omar Aziz, e o deputado Ricardo Barros (Foto: Pedro França/Agência Senado | ABr)


247 - O presidente da CPI da Covid-19, senador Omar Aziz (PSD-AM), apresentou um requerimento para convocar o líder do governo na Câmara, deputado federal Ricardo Barros (PP-PR). Parlamentares que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito apoiaram a decisão e podem colocá-lo em votação nesta terça-feira (29), pouco antes de o deputado estadual pelo Amazonas Fausto Júnior (PRTB) prestar depoimento. A informação foi publicada pelo site Metrópoles

O deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) citou o nome de Ricardo Barros em depoimento na CPI na sexta-feira passada (25). De acordo com o parlamentar pelo Distrito Federal, o líder do governo foi o deputado citado por Jair Bolsonaro e que estaria envolvido nas negociações para a importação da vacina indiana Covaxin.

A compra do imunizante teve um intermediário e que não tem vínculo com a indústria de vacina, a empresa Precisa. O valor da compra foi 1.000% maior do que, seis meses antes, era anunciado pela fabricante. Barros negou ter participado das negociações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Também há suspeitas sobre a compra da vacina Convidecia, do laboratório chinês CanSino. A empresa intermediária foi a BelCher Farmacêutica Brasil, com sede em Maringá (PR), terra de Ricardo Barros. Um dos sócios da empresa é Daniel Moleirinho, cujo pai é parceiro político do deputado. O governo federal iria pagar 17 dólares por dose (R$ 5,2 bilhões por 60 milhões de doses).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email