HOME > CPI Covid

Relator da CPI, Renan chama Bolsonaro de "serial killer": "tem compulsão pela morte"

"Essa responsabilidade é de muita gente, tem muitos indiciados, mas é principalmente desse presidente da República, desse serial killer que tem compulsão pela morte e continua a repetir tudo que fez anteriormente", afirmou o relator da CPI da Covid, Renan Calheiros, ao criticar a condução da pandemia por Jair Bolsonaro

Renan Calheiros (Foto: Roque de Sá/Agência Senado)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), reforçou a responsabilidade de Jair Bolsonaro pela má condução no gerenciamento da pandemia do coronavírus e disse que ele tem "compulsão pela morte". 

"A sociedade queria saber quem assumiria a responsabilidade pelo agravamento das mortes, com esse morticínio que tomou conta do Brasil e por que não se evitou muitas das mortes que a CPI demonstrou que poderiam ter sido evitadas. Essa responsabilidade é de muita gente, tem muitos indiciados, mas é principalmente desse presidente da República, desse serial killer que tem compulsão pela morte e continua a repetir tudo que fez anteriormente", disse.

"Agora com a declaração de que a vacina pode proporcionar Aids, ele demonstra claramente que não tem respeito nenhum com a vida dos brasileiros e nem zela pela saúde pública", complementou.

A expressão "serial killer" citada por Renan ganhou repercussão na imprensa nacional este ano, após as buscas por Lázaro Barbosa, conhecido como "serial killer do DF" e autor de crimes de homicídios em locais como Distrito Federal, Goiás e Bahia. Ele morreu em junho durante uma troca de tiros com a  polícia em Águas Lindas de Goiás (GO). 

A CPI da Covid imputou nove crimes a Bolsonaro - infração de medida sanitária preventiva, epidemia com resultado morte, prevaricação, incitação ao crime, charlatanismo, emprego irregular de verbas públicas, falsificação de documento particular, crimes contra a humanidade, nas modalidades extermínio, perseguição e outros atos desumanos, e, por último, crimes de responsabilidade (violação de direito social e incompatibilidade com dignidade, honra e decoro do cargo).

O parlamentar disse, na semana passada, que levará as denúncias contra Bolsonaro ao Tribunal Penal Internacional

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: