“Não é só rico que gosta de ler”, diz o ator Lázaro Ramos

O ator faz um alerta para o benefício do estímulo à leitura nas crianças e também se posiciona contra tentativas de acabar com a isenção de imposto sobre livros, como defende o ministro Paulo Guedes

Lázaro Ramos
Lázaro Ramos (Foto: EBC)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Com mais de meio milhão de obras vendidas, o ator Lázaro Ramos está de volta às livrarias com "O Pulo do Coelho", sobre um coelho que aprende a sonhar, e "Edith e a Velha Sentada", no qual ele revisita o texto publicado em 2010, acerca de uma menina que vivia no mundo do computador. O Lazinho, como o marido da atriz Taís Araújo é chamado no meio artístico, faz um alerta para o benefício do estímulo à leitura nas crianças e também se posiciona contra tentativas de acabar com a isenção de imposto sobre livros. 

"A gente precisa lembrar que diferentemente do que foi dito não é só rico que gosta de ler. Quando você aumenta a taxação de um livro você está retirando esse direito de uma camada gigante da população que tem muito prazer com a leitura", diz em entrevista à coluna Quem

O ator atribui às crianças a inspiração para as obras. "Esses dois livros foram muito inspirados na observação das crianças que me cercam. As questões de autoestima, o tipo de brincadeira que elas fazem, o jeito de sonhar que elas têm, o tema da autonomia...", conta Lázaro.

PUBLICIDADE

"Dessa vez não foi só a inspiração dos meus filhos, mas de afilhados, colegas de escola", acrescenta ele, que é pai de João Vicente, de 9 anos, e Maria Antônia, de 6, com Taís.

No primeiro semestre, a Receita Federal disse, em documento, que livros podem perder a isenção tributária no Brasil porque são consumidos pelos mais ricos. A medida pode fazer parte de uma reforma tributária em estudo no Congresso e é defendida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. 

PUBLICIDADE

Em agosto do ano passado, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) havia conseguido as 27 assinaturas mínimas de apoio para apresentar proposta de emenda à Constituição que garante imunidade tributária a livros, jornais, periódicos e o papel destinado à impressão (PEC 31/2020).

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE

Apoie o 247

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email