Weintraub confirma fim da TV Escola, diz ator Carlos Vereza

De acordo com o ator Carlos Vereza, o ministro da Educação Abraham Weintraub, teria dito que o canal teria um custo de R$ 400 milhões ao longo de cinco anos. “Não sei se é verdade, mas pelo que sei o custo hoje é 0,06% do orçamento do MEC", disse Vereza. Fim da TV Escola podera resultar na demissão de 400 funcionários

Weintraub Tv escola
Weintraub Tv escola (Foto: Reprodução | ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Contrato do Ministério da Educação (MEC) com a Associação de Comunicação Roquette Pinto (Acerp) não será renovado, o que representa o fim da TV Escola. A informação foi confirmada pelo ator Carlos Vereza , nesta sexta-feira (10), após uma reunião com o ministro da Educação, Abraham Weintraub. 

“Fiz questão de pagar meu voo e meu hotel. Fiz de tudo para convencê-lo mas só ouvi argumentos burocráticos para acabar com uma TV de baixo custo”, disse Vereza, segundo a coluna da jornalista Sonia Racy, no jornal O Estado de S. Paulo. 

“Foi dito que o sinal (da TV) seria mantido pelo menos até acabar meu programa. Falta exibir 21 entrevistas. Mas eu, sinceramente, não sei mais”, emendou.

De acordo com Vereza, o ministro teria dito que o canal teria um custo de R$ 400 milhões ao longo de cinco anos. “Não sei se é verdade, mas pelo que sei o custo hoje é 0,06% do orçamento do MEC”, ressaltou Vereza. 

O ator, que é eleitor e apoiador de Bolsonaro – chegou a gravar um vídeo de apoio a Jair Bolsonaro após este ser esfaqueado durante um ato de campanha em Minas Gerais – criticou a decisão que pode resultar na demissão de 400 funcionários. 

“Falei: Cara, vocês acham que a TV Escola é de esquerda? Então o que é que eu estou fazendo lá? Justo eu que fui ao hospital gravar um vídeo de apoio ao Bolsonaro (após a facada)”, disse Vereza à coluna. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247