TCU permite parcelamento de R$ 22 bi do BNDES e afasta risco de cortes de investimento

Banco pagará parcelas anuais de R$ 2,9 bilhões até 2030. Mercadante elogiou postura do TCU: "assegura resgate histórico do BNDES como um dos indutores do desenvolvimento nacional"

Presidente do BNDES, Aloizio Mercadante
Presidente do BNDES, Aloizio Mercadante (Foto: REUTERS/Adriano Machado)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O Tribunal de Contas da União (TCU) concedeu aprovação ao pedido do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) para o parcelamento de R$ 22,6 bilhões, garantindo assim um horizonte financeiro mais tranquilo e afastando a possibilidade de cortes em investimentos. Essa decisão permitirá que o BNDES continue suas operações sem contratempos.

A proposta, previamente alinhada entre o banco e o Ministério da Fazenda, estabelece a restituição do montante em oito parcelas anuais de R$ 2,9 bilhões, com quitação programada até 2030, de acordo com a colunista Bela Megale do jornal O Globo.

continua após o anúncio

O presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, expressou satisfação com a decisão do TCU. "O acertado entendimento do TCU assegura o resgate histórico do BNDES como um dos grandes indutores do desenvolvimento nacional", declarou. O parcelamento representa um alívio financeiro crucial para o BNDES, que, sem a aprovação, teria a obrigação de quitar os R$ 22,6 bilhões remanescentes até esta quinta-feira. >>> LEIA MAIS: Mercadante alerta para risco de cortes caso TCU não autorize parcelamento de R$ 22,6 bilhões

No pedido apresentado, o BNDES enfatizou que já efetuou devoluções antecipadas ao Tesouro Nacional em valor superior ao montante do empréstimo original, que era de R$ 440,8 bilhões. Até o momento, o banco já restituiu ao Tesouro um total de R$ 693,17 bilhões.

continua após o anúncio

O relator do processo no TCU, Aroldo Cedraz, votou a favor da proposta do banco, considerando os cronogramas enviados como adequados. Mercadante elogiou a postura colaborativa e orientativa do Tribunal de Contas: "tem sido fundamental para o aprimoramento de políticas públicas dos órgãos do estado brasileiro. O TCU também tem sido um importante parceiro na melhoria da governança interna e na entrega resultados positivos do BNDES para a sociedade brasileira".

Com essa decisão favorável, o BNDES pode dar continuidade às suas atividades de fomento ao desenvolvimento econômico e social do país, reforçando sua contribuição como um dos pilares fundamentais para o progresso nacional.

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247