Condenado por estupro, Robinho diz que é perseguido pela Globo, como Bolsonaro: “emissora do demônio”

Em um segundo áudio vazado do jogador, enviado a amigos pelo WhatsApp, ele diz que “o Santos não tem nada a ver” com seus “problemas pessoais”. “No deserto, é nesses ataques que você se aproxima de Deus e se prepara. A gente tem N exemplos aí. Você viu o que fizeram com o Bolsonaro antes da eleição?”, diz ele

Jair Bolsonaro e Robinho
Jair Bolsonaro e Robinho (Foto: PR | Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em um segundo áudio enviado a amigos pelo WhatsApp, vazado pela Folha de S.Paulo, o jogador Robinho, acusado de violência sexual contra uma mulher de 23 anos junto com outros cinco amigos, diz que é perseguido pela Globo, que define como “emissora do demônio”, e se compara a Jair Bolsonaro. No primeiro áudio, ele diz estar “tranquilão” com o vazamentos das conversas entre ele e os amigos envolvidos no caso.

“Bebeto, tô em paz, irmão. Como falei, Deus está me preparando para algo muito maior. No deserto, é nesses ataques que você se aproxima de Deus e se prepara. A gente tem N exemplos aí. Você viu o que fizeram com o Bolsonaro antes da eleição? O ataque que fizeram ao cara? Falando que o Bolsonaro era isso e aquilo? Que o Bolsonaro era racista, fascista, que era assassino? E quanto mais eles batiam no Bolsonaro, mais ele crescia. Então estou em paz mesmo, de coração. Não estou preocupado com eles”, diz o jogador.

“O bem sempre vence e a verdade vai aparecer. Os caras aí são pessoas usadas pelo demônio, né? A gente sabe como a TV Globo é uma emissora do demônio. É só você ver as novelas, as programações. Então eu estou em paz. Deus vai dar a vitória. Que se cumpra o propósito de Deus na minha vida. Meter gol neles, 'tamo junto'. Vou meter uma camisa quando fizer gol: 'Globo lixo, Bolsonaro tem razão'”, completa Robinho.

A sentença da Justiça italiana que condenou Robinho e um amigo em primeira instância a nove anos de prisão por violência sexual, em novembro de 2017, mostra que as interceptações telefônicas realizadas contra os envolvidos ao longo da investigação foram cruciais para o veredito. O episódio aconteceu em janeiro de 2013, quando ele tinha 28 anos e jogava no Milan. A vítima tinha 23 anos.

O ex-jogador e agora comentarista da Rede Globo, Walter Casagrande Jr., fez duras críticas a Robinho nesta sexta-feira. "Eu não aceito, eu não vou me calar. Eu sou uma voz, eu sou inquieto e não vou me calar perante esse tipo de coisa".

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247