CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Meio Ambiente

CCJ da Câmara aprova projeto que pode fazer Ibama perder R$ 20 milhões anuais

A Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental (TCFA) representa uma das principais fontes de recursos do Instituto

Ibama faz operação na Amazônia (Foto: Divulgação (Ibama))
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou em caráter conclusivo, nesta quarta-feira (17), um projeto que restringe a cobrança da Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental (TCFA) pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Criada em 2000, a TCFA é arrecadada pelo Ibama como parte do poder de polícia conferido ao órgão pela legislação. Ela representa uma das principais fontes de recursos do Instituto.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A Taxa é cobrada na fiscalização e controle de atividades potencialmente poluidoras, previamente identificadas em lei, e que envolvem a utilização de recursos naturais.

O autor do projeto, o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), argumenta que a competência para cobrar essa taxa deveria ser dos estados e municípios nos casos em que eles são os responsáveis pelo licenciamento ou autorização ambiental das atividades. Conforme proposto pelo texto, o Ibama ficaria responsável apenas por tributar atividades licenciadas pela União

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Durante a votação, deputados divulgaram cálculos do Ibama que apontam para um impacto de R$ 20,9 milhões anuais no orçamento do órgão.

A proposta, aprovada por 37 votos a 7, segue diretamente para o Senado e não precisa passar pelo plenário da Casa, a não ser que seja apresentado um recurso por pelo menos 51 deputados. (Com informações de g1).

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO