Líder yanomami diz ter enviado cerca de 60 pedidos de ajuda ao governo Bolsonaro e todos foram ignorados

O hospital infantil de Roraima registra 29 internações de yanomamis em uma semana. O número chega a 47

www.brasil247.com - Junior Hekurari
Junior Hekurari (Foto: Reprodução)


247 - O líder indígena Junior Hekurari, presidente do conselho distrital de saúde indígena Yanomami, disse que o governo Jair Bolsonaro (PL) negou mais de 60 pedidos de ajuda feitos por índios Yanomami, em Roraima (RR). A entrevista foi concedida ao Estúdio I, da GloboNews. 

O hospital infantil de RR registra 29 internações de Yanomami em uma semana. O número chega a 47. De acordo com o Ministério dos Povos Indígenas, comandado por Sônia Guajajara, 99 crianças do povo Yanomami morreram em 2022 por conta do garimpo ilegal na região. A pasta estima que ao menos 570 crianças foram mortas pela contaminação por mercúrio, desnutrição e fome nos últimos anos.

>>> Bolsonarista, coronel Cid não vai mais assumir posto no Exército, decide novo comandante

"O povo passou quatro anos sofrendo", disse Junior Hekurari. "O governo atual reconheceu essa tragédia que dura quatro anos. Muita gente, muitas crianças, morreram de malária e de desnutrição. Eu denunciei, pedi apoio ao Ministério da Saúde para ações de intervenção na saúde indígena em Roraima. A gente não recebia resposta do governo", continuou. 

"Pedimos que ele visitasse a Terra Yanomami para ver a realidade. Ele simplesmente não atendeu as lideranças. Ele foi visitar área de garimpo e conversou com garimpeiros. Ficamos chateados com isso e denunciamos. O governo Bolsonaro nunca ajudou os Yanomami e incentivou o garimpo ilegal na nossa terra. Estávamos morrendo enquanto ele ia a Boa Vista para conversar com garimpeiros".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247