Capa da IstoÉ retrata Bolsonaro como nazista e 'mercador da morte'

A publicação destaca a "ignorância e irresponsabilidade" do chefe de governo, que, mesmo diante de mais de 600 mil mortos, continua duvidando a vacina

www.brasil247.com -


247 - Em sua mais nova edição, a revista IstoÉ retrata Jair Bolsonaro como Hitler. Na matéria "As práticas abomináveis do mercador da morte", a publicação destaca a "ignorância e irresponsabilidade" do chefe de governo, que, mesmo diante de mais de 600 mil mortos, continua duvidando a vacina

O próprio Bolsonaro "negligenciou as vacinas, propagandeou fármacos milagrosos, promoveu notícias falsas e sugeriu a invasão de hospitais. Tinha conhecimento da suspeita de corrupção na venda de imunizantes e nada fez. Por causa disso, Bolsonaro deve ser indiciado por 11 crimes", diz a revista.

A IstoÉ exaltou os trabalhos da CPI da Covid, cujo relatório final evidenciará os crimes de Bolsonaro e "experiências macabras do Terceiro Reich com seres humanos", como os casos Prevent Senior e proxalutamida. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo a revista, a "cerimônia de encerramento da CPI nos próximos dias deverá devolver o País à realidade". 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email