Em entrevista internacional, Felipe Neto volta a denunciar: 'Bolsonaro genocida' (vídeo)

Youtuber concedeu entrevista à Deutsche Welle e relatou as "atrocidades" do governo Bolsonaro. Ele também voltou a cobrar um posicionamento de personalidades brasileiras: "não usar suas plataformas onde você tem milhões de seguidores para falar todas as atrocidades que ele tem cometido é concordar com ele"

Felipe Neto
Felipe Neto (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em entrevista internacional nesta sexta-feira (11) à Deutsche Welle, emissora alemã, o youtuber Felipe Neto voltou a denunciar o genocídio cometido por Jair Bolsonaro no Brasil me meio a pandemia de Covid-19.

Ele relatou as "atrocidades" do atual governo e contou da perseguição que sofreu por chamado Bolsonaro de "genocida". "Eu tenho recebido ameaças de morte nos últimos dois anos. Eu tive que tirar minha mãe do país porque ela recebeu ameaças de morte. Ao mesmo tempo, eles tentam usar o sistema Judiciário para me silenciar. Um carro da polícia veio à minha casa porque eu fui acusado de crimes contra a segurança nacional apenas porque disse que Bolsonaro é um genocida, o que ele é".

Questionado sobre o silêncio de personalidades brasileiras diante de tudo que acontece no país, Felipe Neto voltou a cobrar um posicionamento de famosos e celebridades. "Não falar, não usar suas plataformas onde você tem milhões de seguidores, ou até se você tem dois seguidores, para falar todas as atrocidades que ele tem cometido no Brasil é concordar com ele".

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email