Guga Noblat lembra que 'até ontem' sequer tinham pedido a extradição do autor do atentado ao Porta dos Fundos

Jornalista lembra que a mesma Justiça que ordenou a retirada do episódio do Porta dos Fundos da Netflix sequer tinha tomado providências para extraditar Eduardo Fauzi, principal suspeito do atentado à produtora do Porta dos Fundos na véspera de Natal

Guga Noblat critica censura ao Porta dos Fundos
Guga Noblat critica censura ao Porta dos Fundos (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Guga Noblat escancarou a parcialidade do Judiciário brasileiro no episódio do Porta dos Fundos, censurado nesta quarta-feira 8 por um desembargador do Rio e alvo de um atentado na véspera de Natal.

"Até ontem sequer tinham pedido a extradição do dublê de terrorista que atacou o Porta dos Fundos. Mas hoje a Justiça decide retirar o vídeo do ar. Agora é oficial, a censura voltou", criticou no Twitter.

Eduardo Fauzi, considerado foragido depois de embarcar para a Rússia um dia antes de sua prisão ser decretada, em 30 de dezembro, por ser investigado por participação em atentado na produtora do Porta dos Fundos, não teve ainda seu pedido de extradição formalizado pelo governo brasileiro. 

Isso porque o Ministério da Justiça, comandado por Sergio Moro, e o Itamaraty não deram entrada no pedido

Ao portal BR Político, o Ministério da Justiça afirmou por e-mail que não realizou nenhuma manifestação sobre o caso. Já o Itamaraty, também por e-mail, afirmou que não recebeu da pasta do ministro Sérgio Moro nenhum pedido de extradição relativo a Fauzi e negou ter entrado em contato com autoridades russas para tratar sobre o assunto.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247