Sérgio Amadeu denuncia 'poder descomunal' do Facebook para 'modular o comportamento', após mudança no Whatsapp

"Não podemos aceitar que elas possam coletar tantos dados e metadados das pessoas e de populações quase inteiras", diz o especialista em redes digitais sobre a nova política de privacidade do Whatsapp

WhatsApp deve entregar os metadados da eleição, diz Sergio Amadeu
WhatsApp deve entregar os metadados da eleição, diz Sergio Amadeu
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O sociólogo Sergio Amadeu, professor da Universidade Federal do ABC (UFABC) e especialista em redes digitais, alertou nesta quinta-feira (14) sobre os riscos da nova política de privacidade do WhatsApp, implantada pelo Facebook. 

Em entrevista à Revista Fórum, Amadeu afirmou que as alterações visam a aumentar, pelo Facebook, o poder de “modulação de comportamento” dos usuários para fins comerciais e políticos, tornado-os mais fragilizados. 

"Eles utilizarão os metadados do WhatsApp para extrair valor das redes de interação de cada usuário e alimentar os algoritmos que tentarão encontrar padrões nas frequência as pessoas se relacionam. A vigilância para fins comerciais será ampliada de um modo que nenhum minuto da vida de uma pessoa não esteja sendo medido e avaliado pelos sistemas e modelos de predição e modulação de comportamentos", disse Sérgio Amadeu. 

"Está mais que evidente que as plataformas adquiriram um poder comunicacional e econômico descomunal. Não podemos aceitar que elas possam coletar tantos dados e metadados das pessoas e de populações quase inteiras", acrescentou o professor da UFABC. 

Nesta quinta-feira (14), o Procon-SP pediu explicações ao Facebook sobre a nova política de privacidade do Whatsapp. Procon deu 72 horas para que a plataforma informe qual a base legal que fundamenta o compartilhamento dos dados pessoais.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247