Devastação da Amazônia por Bolsonaro preocupa até governo Trump

O governo norte-americano "está profundamente preocupado" com os incêndios na Amazônia, disse uma autoridade da Casa Branca à agência Reuters. O governo de Donald Trump é o principal fiador de Jair Bolsonaro. A afirmação de alguém ligado a Casa Branca, condenando a devastação da floresta, porém, demonstra que o isolamento internacional do atual governo tende a crescer

(Foto: Amazônia, Trump, Bolsoanro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 com Reuters - O governo norte-americano está profundamente preocupado com os incêndios na Amazônia, disse uma autoridade da Casa Branca nesta sexta-feira, conforme cresce a preocupação internacional com o número recorde de queimadas neste ano.

“Estamos profundamente preocupados com o impacto dos incêndios na Floresta Amazônica sobre as comunidades, a biodiversidade e os recursos naturais da região”, disse a pessoa, pedindo para não ser identificada. O governo de Donald Trump é visto por Jair Bolsonaro como um de seus principiais aliados. A afirmação de alguém ligado a Casa Branca, condenando a desturiçõa da floresta, porém, demonstra que o isolamento internacional do atual govern tende a crescer.  

Mais cedo, diversos líderes europeus classificaram os incêndios na Amazônia como uma "crise internacional" e avaliam a aplicação de sanções conra o Brasil em função do desmonte das políticas ambientais e do descaso com o meio ambiente por parte do governo Jair Bolsonaro. 

 A devastação da Amazônia deverá ser discutida neste fim de semana em  Biarritz, sudoeste francês, durante encontro das sete principais economias do mundo (Leia no Brasil 247). O primeiro presidente do G7 a se manifestar sobre o tema foi Emmanuel Macron. Em seguida, Angela Merkel, da Alemanha, Justin Trudeau, do Canadá, e Boris Johnson, do Reino Unido, também cobraram ações do governo brasileiro para conter a devastação estimulada pelas declarações de Bolsonaro em favor da expansão do agronegócio sobre áreas de florestas. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247