Evo Morales: "legalmente, continuo presidente"

"Os líderes do golpe não cumpriram os procedimentos legislativos, violaram sistematicamente a Constituição, desencadearam perseguições políticas e cometeram crimes contra a humanidade", diz o ex-presidente da Bolívia deposto pelo golpe

Evo Morales
Evo Morales (Foto: Cebrapaz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Dias após o Ministério Público da Bolívia pedir a prisão do ex-presidente Evo Morales por "terrorismo", Evo foi ao Twitter lembrar ao povo boliviano que, legalmente, ele ainda é presidente.

Ele ressaltou que a Assembleia Legislativa do país não aprovou sua renúncia e que, portanto, segue presidente da Bolívia. Evo Morales também pontuou a ilegalidade da autoproclamação da senadora Jeanine Áñez como presidenta boliviana. "Ainda sou legalmente presidente. Minha renúncia não foi considerada pela Assembléia Legislativa, conforme previsto no Art. 161 Nº 3 do CPE. Se aceito, os procedimentos para uma sucessão constitucional não foram cumpridos, por isso Áñez se autoproclamou ilegalmente".

Evo disse também que os líderes do golpe violaram a Constituição e cometeram crimes contra a humanidade, o que torna todos os seus atos nulos. "Os líderes do golpe não cumpriram os procedimentos legislativos, violaram sistematicamente a Constituição, desencadearam perseguições políticas e cometeram crimes contra a humanidade.Todos os seus atos são nulos".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247