Em Beirute, Macron promete "novo pacto político" ao Líbano

"Estou aqui hoje para propor um novo pacto político”, afirmou o presidente da França, Emmanuel Macron

Emmanuel Macron (França) no Líbano
Emmanuel Macron (França) no Líbano (Foto: CivilDefenseLB)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em visita ao Líbano nesta quinta-feira, 6, o presidente da França, Emmanuel Macron afirmou que seu país ajudará a “reerguer Beirute”. A zona portuária da cidade foi alvo de um incidente, quando uma explosão destruiu a região matando centenas de pessoas e ferindo outras milhares.

“Uma conferência internacional será realizada nos próximos dias como forma de reerguer os libaneses”, afirmou o francês, que visitou os destroços causados pela explosão. "Esta ajuda, eu garanto, não vai acabar em mãos corruptas. Vou falar com todas as forças políticas para pedir um novo pacto", disse Macron. 

"A prioridade hoje é ajuda, apoio incondicional à população. Mas há reformas indispensáveis ​​em certos setores que a França exige há meses, anos", reforçou. "Se essas reformas não forem feitas, o Líbano continuará a afundar", afirmou. 

"Estou aqui hoje para propor um novo pacto político. Se eles não conseguem manter esse pacto, assumirei minhas responsabilidades ", acrescentou o presidente francês.

“Tenho certeza que o Líbano irá dar a volta por cima, mas para isso será necessário que seus jovens lutem, e reformas sejam feitas”, destacou. A França é um dos países com mais imigrantes libaneses. De acordo com Macron, cerca de 300 mil libaneses moram na França. “Esse foi um dos motivos pelos quais tive que vir prestar minha solidariedade neste momento”, afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247