Prevendo a derrota, Trump vai à Justiça contra votação na Pensilvânia e Michigan

Segundo a agência Bloomberg, em ambos os casos arquivados na quarta-feira, a campanha de Trump alega que não teve acesso significativo a vários locais de contagem para observar o processo de abertura e tabulação das cédulas conforme garantido pela lei estadual

Joe Biden e Donald Trump
Joe Biden e Donald Trump (Foto: REUTERS/Tom Brenner | REUTERS/Leah Millis)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bloomberg - A campanha do presidente Donald Trump abriu processos na Pensilvânia e em Michigan, tentando contestar as contagens de votos que têm demonstrado tendência para o democrata Joe Biden.

Em ambos os casos arquivados na quarta-feira, a campanha de Trump alega que não teve acesso significativo a vários locais de contagem para observar o processo de abertura e tabulação das cédulas conforme garantido pela lei estadual. O pedido não pôde ser confirmado imediatamente.

“Também exigimos a revisão das cédulas que foram abertas e contadas enquanto não tínhamos acesso significativo”, disse o gerente de campanha Bill Stepien em uma declaração por e-mail sobre o processo em Michigan.

O candidato democrata Joe Biden detém uma pequena vantagem de cerca de 32.000 votos em Michigan, um estado decisivo visto como crucial para ambas as campanhas. Trump disse na quarta-feira que entraria com um processo para impedir que a eleição fosse roubada, uma alegação que especialistas jurídicos disseram não ter fundamento na realidade.

“O presidente Trump está empenhado em garantir que todos os votos legais sejam contados em Michigan e em qualquer outro lugar”, disse Stepien

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247