Trump é sócio de empresa que produz cloroquina, diz NYT

Segundo o jornal New York Times, o presidente dos EUA, Donald Trump, que assim como Jair Bolsonaro defende uso da cloroquina no tratamento da covid-19 mesmo sem estudos conclusivos sobre sua eficácia, figura entre os acionistas da Sanofi, indústria farmacêutica francesa que detém a patente da droga

(Foto: Andrea Hanks/Casa Branca | Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que assim como Jair Bolsonaro defende o uso da cloroquina no tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus, apesar de não haverem estudos comprovando sua eficácia, figura entre os acionistas da Sanofi, indústria farmacêutica francesa que detém a patente da droga. Segundo reportagem do jornal New York Times, um outro acionista da empresa é Ken Fisher, um dos maiores doares de campanha para os republicanos, partido de Trump. 

No ano passado, Trump afirmou que sua família possui investimentos em um fundo mútuo da Dodge & Cox, tendo como maior participação as ações na Sanofi. Um outro ponto , segundo a reportagem, é que fabricantes de medicamentos genéricos também devem lançar comprimidos de hidroxicloroquina em breve, incluindo a Amneal Pharmaceuticals, que tem como co-fundador, Chirag Patel, um integrante de um clube de golpe pertencente aTrump em Nova Jersey. Trump e Patel já foram vistos jogando juntos várias vezes desde que ele foi eleito. 

Um outro grande investidor da Sanofi e da Mylan, que também atua no ramo farmacêutico, é a Invesco, fundo que anteriormente era administrado por Wilbur Ross, secretário de Comércio dos Estados Unidos. Nesta segunda-feira (6), Ross disse por meio de um comunicado que “não estava ciente de que a Invesco tem investimentos em empresas que produzem ‘o medicamento’, nem tenho qualquer envolvimento na decisão de explorar isso como um tratamento”. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247