Adeus gasolina. Sete países proibirão veículos movidos a combustíveis fósseis

Agora que 92 nações ratificaram o histórico Acordo de Paris para o Clima, muitos intensificam seus esforços para reduzir as emissões de carbono. Uma das medidas é promover a venda unicamente de automóveis 100% elétricos e banir das estradas os carros que usam combustíveis fósseis. Energia limpa caminha sobre rodas.

Agora que 92 nações ratificaram o histórico Acordo de Paris para o Clima, muitos intensificam seus esforços para reduzir as emissões de carbono. Uma das medidas é promover a venda unicamente de automóveis 100% elétricos e banir das estradas os carros que usam combustíveis fósseis. Energia limpa caminha sobre rodas.
Agora que 92 nações ratificaram o histórico Acordo de Paris para o Clima, muitos intensificam seus esforços para reduzir as emissões de carbono. Uma das medidas é promover a venda unicamente de automóveis 100% elétricos e banir das estradas os carros que usam combustíveis fósseis. Energia limpa caminha sobre rodas. (Foto: Luis Pellegrini)

  

Fonte: Site Futurism.com

Nos últimos dois anos, gradualmente, a revolução da energia limpa tem ganhado terreno. Além de implementar políticas de transição para fontes de energias mais limpas e renováveis, um certo número de países se mostram empenhados em manter suas ruas e estradas limpas através da proibição do tráfego de veículos com motor de combustão. Como a contribuição do setor de transportes é de cerca de quinze por cento das emissões de carbono a nível mundial, pode-se dizer que este é um passo realmente notável. Aqui estão as cinco primeiras nações que decidiram implementar essa revolução da energia limpa. A ordem em que são citadas corresponde às datas em que tomaram a decisão.

 


Alemanha – embora não sendo a primeira a considerar oficialmente a possibilidade de proibir a circulação de carros a gasolina e a óleo diesel, a Alemanha foi a primeira a implementar de fato uma proibição. Em Outubro de 2016, o Conselho Federal do país (Bundesrat) propôs e aprovou uma resolução que propõe a proibição interna total de motores a combustão até 2030. A decisão é importante, não apenas porque é a primeira, mas também porque a Alemanha é a quarta maior indústria de produção de automóveis do mundo. A Alemanha é também o país de origem de alguns dos maiores fabricantes de carro no exterior. Um dos primeiros resultados dessa decisão foi o sensível incremento dos investimentos de fábricas veteranas como a Mercedes Benz e a Volkswagen no desenvolvimento de projetos de carros movidos a eletricidade e a hidrogênio.

Noruega – em Fevereiro de 2017, a Noruega decidiu não apenas seguir mas também suplantar o exemplo alemão. Neste país escandinavo, a proibição de circulação de carros movidos a combustível fóssil ocorrerá cinco anos mais cedo, já em 2025. A partir desse ano, na Noruega só serão comercializados veículos novos cem por cento elétricos. A ideia é acabar completamente com os carros movidos a gasolina. Para a execução desse plano ambicioso, mas não impossível, o governo norueguês já elabora novas leis que implicam em vantagens fiscais para quem aderir rapidamente às novas normas. “Até 2030, todos os veículos de serviço pesado, 75% dos novos caminhões para transporte de longa distância, e 50% dos automóveis novos deverão ser de emissão zero”, informa a Administração Rodoviária Pública norueguesa.

 


Índia – Na Ásia, a Índia é o primeiro país a instituir uma política semelhante à da Noruega, e no país pretende-se que a totalidade da frota será de veículos a tração elétrica até 2030. O esforço indiano é enorme, e será financiado pelo governo. “Na Índia os veículos movidos a eletricidade serão introduzidos em larga escala. A ideia é que nenhum veículo movido a combustíveis fósseis poderá ser vendido no país a partir de 2030”, declarou Piyush Goyal, ministro indiano das ferrovias e do carvão.

França – O país do histórico acordo climático global não quis ficar para trás e implementa no momento decisões radicais relacionadas à proteção do meio ambiente e as mudanças climáticas atualmente em curso. Faz parte desses planos banir todos os veículos movidos a gasolina e a diesel num programa progressivo que deverá se completar em 2040. A França prefere instituir um processo passo-a-passo, que inclui ter já em 2023 uma frota de 2,4 milhões de veículos com tração elétrica e veículos híbridos.

Reino Unido – Os britânicos, por seu lado, já introduziram uma proibição total a partir de 2040 para a circulação de veículos novos movidos a gasolina e a diesel. Ao mesmo tempo, vota-se no Reino Unido uma iniciativa de 4,06 bilhões de dólares destinados aos conselhos locais, para que se invista na melhoria das condições do ar. “A má qualidade do ar é o maior risco para a saúde pública no Reino Unido, e o governo está determinado a desempenhar uma forte ação nesse sentido, no mais breve tempo possível”, declarou um porta-voz do governo à BBC.

 


Holanda e China – Outros dois países que manifestaram interesse na contenção das emissões de gases com efeito de estufa produzido pela combustão dos veículos a motor de explosão foram os os Países Baixos e a República Popular da China. Desde abril de 2016 os holandeses começaram a considerar uma proibição da gasolina e do diesel. A China revelou neste mês de setembro planos similares.

Quanto aos Estados Unidos, dono da maior frota de veículos do mundo, nenhum sinal animador está sendo visto no momento. As coisas deverão permanecer desse jeito pelo menos até o final de 2020… quando termina o governo Trump.

 
 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247