Cientistas tentam calcular quanto tempo resta à humanidade

Cientistas de Harvard e Oxford tentaram fazer uma previsão sobre quanto tempo pode existir a vida em torno de estrelas que têm condições para isso

Cientistas de Harvard e Oxford tentaram fazer uma previsão sobre quanto tempo pode existir a vida em torno de estrelas que têm condições para isso
Cientistas de Harvard e Oxford tentaram fazer uma previsão sobre quanto tempo pode existir a vida em torno de estrelas que têm condições para isso (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da Sputinik – O período durante o qual vida pode se desenvolver perto de uma estrela depende diretamente da duração da vida da própria estrela, diz-se no pré-print da pesquisa. A única exceção ocorre quando a estrela para de existir devido a razões forçadas, pro exemplo, em sequência de colisão com um corpo celeste ou devido à  influência de uma outra força destrutiva.   

De acordo com os dados da pesquisa, a vida pode se desenvolver na área de uma estrela que seja 0,08-3,7 mais pesada de que o Sol. Ao mesmo tempo, o peso da estrela é inversamente proporcional à duração da vida: quanto mais leve é a estrela, durante mais tempo a vida pode existir. As estrelas mais comuns no Universo, as anãs vermelhas, cujo peso é bastante pequeno, podem existir e manter a vida em torno delas por cerca de dez trilhões de anos.

As estrelas parecidas com o Sol durante a sua evolução passam por várias etapas – anã amarela, estrela subgigante e gigante vermelha – e daqui a 10 bilhões de anos se tornam em anã branca. Em qualquer destes períodos a estrela pode tornar as condições de vida em planetas próximos impossíveis para a vida.  

O processo de criação de estrelas começou há 30 milhões anos, depois da Grande Expansão. Os sistemas planetários começaram a aparecer muito mais tarde – depois de as explosões de supernovas formarem a segunda geração de estrelas. Os cientistas opinam que esse é o ponto zero para a existência de vida no Universo, que se limita à vida de estrelas mais estáveis, com uma duração de cerca de 10 bilhões de anos.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247