Luzes do ártico

Assista a um vdeo feitopelo fotgrafo Terje Srgjerd, nas ilhas Lofoten, na Noruega,em que o cu se colore numa beleza quase irreal

Para se admirar um espetáculo como o mostrado neste vídeo, é preciso viajar muito ao norte, à extremidade boreal da terra. Lá se encontram as ilhas Lofoten, território da Noruega. O fotógrafo norueguês Terje Sørgjerd foi lá, entre os meses de maio e junho, levando seus equipamentos. As imagens que gravou relatam uma viagem de 12 dias, quando ainda não é o tempo do sol da meia-noite, porém o céu se colore de luzes muito estranhas, de beleza quase irreal. Um fenômeno que se repete todos os anos e que o fotógrafo quis gravar e montar com a técnica do time lapse – um recurso muito usado no vídeo, no qual um evento é fotografado em determinado período de tempo.

A operação não é destituída de risco: para alcançar os melhores pontos de observação, Sørgjerd caiu na água duas vezes (seu equipamento por sorte não caiu). Numa das vezes, caindo de um alto rochedo, ele foi parar num hospital. As sequências retratadas duram em média entre 4 e 5 horas, e para realizá-las Sørgjerd teve de calcular com precisão os horários das marés, para não ter de deslocar o equipamento nos momentos mais importantes. Além disso, trabalhou quase sempre em baixas temperaturas. Na região, mesmo na primavera, durante as breves noites ela chega aos seis graus negativos.

A sequência que começa no minuto 1:06 mostra a luz das 9 horas da noite até as 7 horas da manhã: crepúsculo e alvorecer são muito próximos e pode-se assistir a um espetáculo de luzes sem paralelo em outras partes do mundo.

A música de fundo é de Marika Takeuchi, uma compositora de Boston. Um vídeo precedente do mesmo autor - Aurora Boreal – pode ser apreciado em Oásis 14.


Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247