Arthur Lira não irá pautar revogação da PEC da Bengala

Bolsonaro possa indicar novos ministros alinhados ao governo para tribunais superiores foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nesta terça-feira (23)

Presidência, Reunião de Líderes. Dep. Arthur Lira PP - AL
Presidência, Reunião de Líderes. Dep. Arthur Lira PP - AL (Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), não levará ao plenário a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 159/19, que reduz de 75 para 70 anos a idade para que ministros de tribunais superiores se aposentem.

O projeto foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) nesta terça-feira (23) e interessa ao Palácio do Planalto e ao Centrão, uma vez que as vagas abertas poderiam ser ocupadas por candidatos à Corte alinhados ao governo Jair Bolsonaro. 

De acordo com a coluna do jornalista Guilherme Amado, no Metrópoles, Lira pretende levar a plenário uma segunda proposta, que eleva de 65 para 70 anos a idade máxima para alguém ser indicado a ministro do Supremo.  “A revogação da PEC da Bengala, garante ele (Arthur Lira) será enterrada”, diz a reportagem.

PUBLICIDADE

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email