Exonerado, Bento Albuquerque resistia ao projeto bilionário para beneficiar o “rei do gás”

Medida beneficiaria diretamente o empresário Carlos Suarez, conhecido como "o rei do gás". Ex-ministro não aceitava o pacote da forma como estava sendo fechado no Congresso

www.brasil247.com - Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque
Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)


247- O ex-ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque, exonerado nesta quarta-feira (11) por Bolsonaro, resistia ao projeto patrocinado pelo centrão para beneficiar o “rei do gás” na construção de gasoduto pelo país. “Bento Albuquerque resistia à ideia, e afirmou a autoridades de Brasília que não aceitaria o pacote da forma como estava sendo fechado no Congresso”, escreve Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

Avaliada em R$ 100 bi, a proposta beneficiaria diretamente o empresário Carlos Suarez, ex-sócio da empreiteira OAS e conhecido como o "rei do gás", que hoje é o único que detém autorizações para distribuir gás em oito estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. 

>>> Bolsonaro demite ministro de Minas Energia por alta dos combustíveis

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Polêmica, a proposta está travada na Câmara desde 2015. Agora pode ser liberada pelo centrão sem muitas discussões no que está sendo apelidada de "jabuti", que não sobe em árvore. “A ideia, de acordo com a jornalista, "seria apresentar uma emenda de última hora no projeto de lei que discute a modernização do setor elétrico”. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Albuquerque queria garantir que a construção do gasoduto estaria condicionada a valores e condições de mercado. E que apenas andaria com o aval do Ministério das Minas e Energia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email