CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Poder

Lula explica por que não aceitou sugestão de GLO: "ia virar rainha da Inglaterra"

O presidente comentou sobre a segurança pública do Distrito Federal após bolsonaristas invadirem a Praça dos Três Poderes, em Brasília

Imagem Thumbnail
Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: José Cruz/Agência Brasil)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) explicou nesta quarta-feira (18) por que não aprovou uma operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) contra os terroristas apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) responsáveis por invasões ao Congresso, ao Planalto e ao Supremo Tribunal Federal (STF), no último dia 8, em Brasília (DF).

"Quando fizeram GLO no Rio de Janeiro, o Pezão, que era governador, virou rainha da Inglaterra. Eu tinha acabado de ser eleito presidente da República. [...] O importante é que eu fui eleito presidente da República desse país. E eu não ia abrir mão de cumprir com as minhas funções e exercer o poder na sua plenitude", disse Lula em entrevista à jornalista Natura Nery, da GloboNews. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

>>> Vice de Bolsonaro, Braga Netto liderou reuniões para discutir golpe contra eleição de Lula

A sugestão de fazer uma GLO teria partido do ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, de acordo com reportagem da Folha de S.Paulo. O presidente preferiu uma intervenção federal na segurança pública do Distrito Federal, nomeando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O presidente Lula reforçou que militares responsáveis por terem participado dos atos terroristas vão ser punidos

>>> Etchegoyen ameaça Lula e diz que sua desconfiança em relação aos militares não pacifica o País

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Por decisão do STF, Ibaneis Rocha foi afastado do governo do Distrito Federal e o ex-ministro da Justiça Anderson Torres foi preso.

Na última quinta-feira (12), policiais federais encontraram na casa de Torres, em Brasília, um documento com estratégias para uma tentativa de golpe no País. O ex-ministro foi preso.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Benedito Gonçalves determinou a inclusão da minuta golpista em uma ação de investigação contra Bolsonaro e Braga Netto.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO