Além de 'paralização', ministro da Educação também escreveu 'suspenção' em ofício a Paulo Guedes

Ministro do Educação, Abraham Weintraub, escreveu ofício ao ministro da Economia, Paulo Guedes, com graves erros de português. No texto em que solicitava a liberação de mais recusos para o MEC, Weintraub explica que as verbas previstas para a Educação em 2020 são insuficientes e alerta para o risco de "paralização". O ministro também cita "suspenção" de pagamentos

(Foto: Foto: Reprodução)

247 - O ministro do Educação, Abraham Weintraub, escreveu ofício ao ministro da Economia, Paulo Guedes, com graves erros de português. 

No texto em que solicitava a liberação de mais recusos para o MEC, Weintraub explica que as verbas previstas para a Educação em 2020 são insuficientes e alerta para o risco de "paralização" (leia mais no Brasil 247).

O ministro também cita "suspenção" de pagamentos. A grafia correta das palavras é paralisação e suspensão. 

Weintraub afirma no documento, de oito páginas, que o orçamento previsto, de R$ 16,2 bilhões, é menor do que o necessário para a manutenção das atividades da pasta, e pede um acréscimo de R$ 9,8 bilhões. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247