Justiça mantém Anderson Torres e ex-comandante da PM-DF em prisões diferentes para 'evitar prejuízos às investigações'

O ex-ministro de Bolsonaro e o militar Fábio Augusto Vieira são investigados por omissão nos atos golpistas em Brasília, onde bolsonaristas invadiram a Praça dos Três Poderes

www.brasil247.com - Anderson Torres
Anderson Torres (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)


247 - A Justiça do Distrito Federal manteve o ex-ministro da Justiça Anderson Torres e o ex-comandante-geral da Polícia Militar (PM-DF) Fábio Augusto Vieira presos em locais diferentes para "preservar as suas integridades físicas, bem como evitar prejuízos às investigações que ainda estão em andamento". A informação foi publicada nesta terça-feira (24) pelo portal G1

Os dois são investigados por omissão nos atos golpistas que aconteceram no dia 8 de janeiro, quando apoiadores de Jair Bolsonaro (PL) invadiram o Congresso, o Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF).

>>> Caso Americanas: Bradesco e Itaú contestam carta de Lemann, Sicupira e Telles e apontam 'práticas irregulares' do trio

A decisão foi da juíza de direito de Vara de Execuções Penais (VEP), Leila Cury. "Este Juízo, no exercício de sua estrita competência legal, autorizou a alocação do custodiado Anderson Gustavo Torres no Batalhão de Aviação Operacional da PMDF, localizado no Guará, bem como do ex-Comandante Geral da PMDF, Cel. Fábio Augusto Vieira, no Regimento de Polícia Montada da mesma corporação, localizado no Riacho Fundo", disse. 

Torres era o secretário de Segurança Pública no Distrito Federal quando bolsonaristas invadiram as instituições. Quatro dias depois, em 12 de janeiro, policiais federais encontraram na casa do ex-ministro em Brasília (DF) uma minuta com estratégias para uma tentativa de golpe no País.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247