Ministro da Educação diz que 'jamais falou em violência física', mas que professor perdeu autoridade

Em discurso de posse, Milton Ribeiro afirma que "a implementação de políticas e filosofias educacionais equivocadas" proporcionaram episódios de violência contra os professores em salas de aula, que também precisam ser criticados

Milton Ribeiro toma posse no Ministério da Educação
Milton Ribeiro toma posse no Ministério da Educação (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, pastor da Igreja Presbiteriana, tomou posse nesta quinta-feira (16). Jair Bolsonaro participou de forma virtual da cerimônia, por meio de videoconferência. Bolsonaro testou positivo para Covid-19 pela segunda vez nesta quarta-feira (15).

Em seu discurso de posse, Milton Ribeiro defendeu a importância da educação pública, negou críticas sobre um vídeo seu que circulou na internet, no qual fez um discurso estimulando a educação de crianças com violência física, e apontou "implementação equivocada" de políticas educacionais, que fizeram com que o professor perdesse a autoridade em sala de aula, levando à violência por parte de alunos, o que segundo ele também deve ser criticado.

Depois de dizer que estudou em escola pública ao longo da vida, relata que recebeu de Jair Bolsonaro o "honroso" pedido para ssumir o Ministério da Educação. "Entre outras coisas ele me disse: 'olhe com carinho para a educação das crianças e ao ensino profissionalizante de professor'. Hoje, publicamente, assumo o compromisso de que seguiremos essa orientação do presidente. Queremos abrir um grande diálogo para ouvir os acadêmicos e educadores que, como eu, estão entristecidos com o que vem acontecendo com a educação no nosso país, haja visto nossos referenciais e colocações no ranking do PISA".

Sobre as críticas que recebeu, rebateu: "Jamais falei em violência física na educação escolar e nunca defenderei tal prática, que faz parte de um passado que não queremos de volta. Entretanto, vale lembrar que devido à implementação de políticas e filosofias educacionais equivocadas, em meu entendimento, que desconstruíram a autoridade do professor em sala de aula e o que agora existe por muitas vezes são episódios de violência física de alguns maus alunos contra professores. As mesmas vozes críticas de nossa sociedade devem se posicionar quanto a tais episódios com a mesma intensidade", defendeu.

"Muitas vezes o que acontece é que a gente vê na TV, professores sendo agredidos e desrespeitados. Aquilo que eu puder como ministro da Educação apoiar as iniciativas, nós precisamos resgatar o respeito pelo professor. Tenho consciência de que não iremos solucionar o problema de educação no Brasil, mas procuraremos sim, com a ajuda de Deus, deixar um legado positivo e de esperança para as gerações futuros", completou.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247