MP chama grupo bolsonarista de 'milícia armada' e pede busca e apreensão de armas

Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) pediu à Justiça o desmonte do acampamento 300 do Brasil, de apoiadores de Jair Bolsonaro em Brasília, e colocou a ativista Sara Winter com ré na ação

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) ajuizou ação civil pública na Justiça pedindo o desmonte do acampamento de apoiadores de Jair Bolsonaro na capital federal. 

O MPDFT chama o grupo de "milícia armada" e colocam como ré na ação a porta-voz do acampamento, a ativista Sara Fernanda Giromini, que se autodenomina Sara Winter. 

Na ação,  os promotores de Justiça Flávio Augusto Milhomem e Nísio Tostes Filho também pedem uma revista de seus integrantes para verificar se há armas de fogo com os manifestantes e a busca e apreensão de armas em situação irregular. 

Segundo reportagem da BBC Brasil, Sara Winter admitiu que o acampamento tem armas de fogo. 

O grupo prega o “extermínio da esquerda” e vem ameaçando invadir o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF) para defender o governo Jair Bolsonaro. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247