PGR abre apuração sobre irregularidades de movimentações salariais em gabinete de Bolsonaro na Câmara

A Procuradoria-Geral da República (PGR) determinou a abertura de uma apuração preliminar para avaliar irregularidades nas movimentações salariais de assessores lotados no gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados. A PGR não tem prazo para concluir a análise do caso

Jair Bolsonaro cochicha com procurador-geral da República, Augusto Aras
Jair Bolsonaro cochicha com procurador-geral da República, Augusto Aras (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Procuradoria-Geral da República (PGR), em parecer assinado pelo Procurador-Geral da República, Augusto Aras, no dia 11 de setembro, determinou a abertura de uma apuração preliminar para avaliar elementos que indiquem irregularidades nas movimentações salariais de assessores lotados no gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados, entre os anos de 1991 e 2018. A reportagem é do portal G1. 

A PGR não tem prazo para concluir a análise do caso. No entanto, Bolsonaro não é investigado formalmente. 

A decisão de Aras foi comunicada ao Supremo Tribunal Federal (STF) após um advogado apresentar um pedido de investigação ao Ministério Público Federal (MPF), acrescenta a reportagem. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247