STF deixa para 2020 julgamento sobre suspeição de Moro, que pode anular processos de Lula

Habeas corpus que pede anulação de ações penais por suspeição do ex-juiz Sergio Moro não será analisado na última sessão de 2019 da 2a Turma do STF em 2019, marcada para esta terça-feira. Na sexta, a Corte entra em recesso e só volta com a agenda normal em fevereiro

Moro STF Lula
Moro STF Lula

247 - O Supremo Tribunal Federal deixou para o ano que vem o julgamento que pode decretar a suspeição do ex-juiz Sergio Moro e assim anular algumas ações contra o ex-presidente Lula. 

O caso não será julgado na última sessão de 2019 da Segunda Turma, marcada para esta terça-feira 17. A partir de sexta, o Supremo entra em recesso e só volta a ter agenda regular em fevereiro de 2020, informa o Globo.

Em setembro, a defesa de Lula pediu urgência no julgamento do habeas corpus. O pedido foi endereçado ao ministro Gilmar Mendes, relator do caso. Na peça (leia aqui a íntegra), protocolada com Lula ainda preso, o advogado Cristiano Zanin Martins reforçou que há "robustas provas" a respeito da suspeição - objetiva e subjetiva" de Moro.

Na mesma época, Gilmar Mendes chegou a afirmar que o recurso seria colocado para ser julgado até novembro. “Outubro, novembro a gente julga isso, ainda não tem data”, disse o ministro na ocasião.

O recurso foi apresentado em dezembro do ano passado à Segunda Turma do STF. Na época, o relator da Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, e a ministra Cármen Lúcia votaram contra o pedido de liberdade de Lula. A discussão acabou interrompida por um pedido de vista de ministro Gilmar Mendes.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247