Caso Genivaldo de Jesus Santos: ONGs querem que União pague indenização de R$ 128 milhões

Duas associações pediram o mesmo valor pago à família de George Floyd (US$ 27 milhões), morto nos EUA por asfixia

www.brasil247.com - Genivaldo de Jesus Santos
Genivaldo de Jesus Santos (Foto: Reprodução)


247 - As Organizações Não-Governamentais (ONGs) Educafro Brasil e Centro Santo Dias de Direitos Humanos querem que a União indenize em R$ 128 milhões a família de Genivaldo de Jesus Santos, 38 anos, morto na quarta-feira (25) por asfixia ao ser colocado dentro do porta-malas, com gás de pimenta, em uma viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF). As entidades pediram o mesmo valor pago à família de George Floyd (US$ 27 milhões), morto na mesma data de Genivaldo, mas em 2020, nos Estados Unidos. Em valores atuais, o valor pedido é de R$ 128 milhões. A ação será impetrada na Justiça Federal de Sergipe. O teor da petição foi publicado nesta sexta-feira (27) pela coluna de Carlos Madeiro, no portal Uol.  

De acordo com advogado da ação coletiva Márlon Reis, doutor em Sociologia Jurídica, o pedido de indenização foi elaborado "com base no que foi fixado nos Estados Unidos para o George Floyd porque Genivaldo de Jesus, assim como ele, também era negro, foi morto pela polícia, por asfixia, e exatamente na mesma data, embora com a diferença de dois anos".

As institituições destacaram que os policiais transformaram o porta-malas "em câmara de gás por meio do bombeamento de grande quantidade de fumaça tóxica, causando a morte por asfixia do cidadão negro totalmente indefeso e desarmado".

Morto por policiais rodoviários federais, Genivaldo era aposentado, casado e deixa um filho de sete anos. Ele era uma pessoa conhecida e querida na cidade.

Em nota, a PRF de Sergipe diz que Genivaldo "resistiu ativamente a uma abordagem de uma equipe da PRF". As imagens mostraram ele imobilizado pelos policiais.

A corporação afirmou que, em razão de sua "agressividade", foram empregadas "técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo para sua contenção e o indivíduo foi conduzido à delegacia da polícia civil da cidade".

A PRF não explicou quais seriam essas técnicas e instrumentos. 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email