Covas perde a linha ao ser perguntado sobre denúncia de violência contra seu vice

"Não é possível que você traga isso aqui sem ter investigado", afirmou o prefeito e candidato à reeleição em São Paulo, Bruno Covas (PSDB), na rádio CBN, após ser questionado sobre o boletim de ocorrência por violência doméstica registrado contra Ricardo Nunes

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O prefeito e candidato à reeleição em São Paulo, Bruno Covas (PSDB), perdeu a linha com jornalistas nesta terça-feira (24), durante entrevista na rádio CBN. 

Covas defendia uma maior representatividade de mulheres na gestão da prefeitura e tentou justificar a escolha de seu candidato a vice-prefeito, o vereador Ricardo Nunes (MDB). O tucano disse que gostaria de ter escolhido uma mulher como vice, mas o nome de Ricardo Nunes representa a coalizão de partidos que o apoia. 

Foi quando o jornalista Fernando Andrade mencionou as denúncias de violência doméstica contra Ricardo Nunes e mencionou o Boletim de ocorrência registrado contra o vice de Covas. Neste momento, o prefeito se exaltou. 

"É impressionante como vocês são pautados pela propaganda do PSOL. Fico horrorizado com isso, como gostam de acabar com vida do meu vice sem denúncia. Não é possível que você traga isso aqui sem ter investigado", afirmou Bruno Covas. 

Um trecho do boletim foi lido no ar: "inconformado com a separação, Ricardo Nunes não lhe [à esposa] dá paz, vem efetuando ligações proferindo ameaças, envia mensagens ameaçadoras e invade a sua casa, onde faz escândalos e a ofende com palavrões". 

Pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira mostra que faltando cinco dias para o segundo turno das eleições municipais, o candidato do PSOL e de toda a esquerda, Guilherme Boulos, reduz a vantagem do candidato do PSDB. O prefeito Bruno Covas, candidato à reeleição, aparece na pesquisa Datafolha publicada nesta terça-feira (24), com 55%, contra 45% de Guilherme Boulos. Agora, é preciso virar 5 pontos percentuais. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247