Doria comemora Reforma da Previdência e diz que servidores agrediram policiais

Governador de São Paulo, João Doria (PSDB), usou suas redes sociais para elogiar a aprovação da Reforma da Previdência estadual e apoiar a truculência da tropa de choque contra os manifestantes. Para Doria, os servidores agrediram os policiais e praticaram atos de vandalismo

João Doria; Polícia de Choque da PM na Assembléia Legislativa de São Paulo durante votação da Reforma da Previdência
João Doria; Polícia de Choque da PM na Assembléia Legislativa de São Paulo durante votação da Reforma da Previdência (Foto: GOV SP | PT/ALESP)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), usou suas redes sociais para elogiar a aprovação da Reforma da Previdência estadual e apoiar a truculência da tropa de choque que reprimiu, nesta terça-feira (3), com violência os servidores públicos que protestavam contra o projeto. 

“Dia histórico para São Paulo. A Reforma da Previdência foi aprovada na ALESP por 59 votos. Parabéns aos deputados que aprovaram essa medida que iguala as regras dos servidores públicos do Estado aos servidores federais”, postou Doria. 

Pouco depois, em uma nova postagem, Doria disse que os manifestantes cometeram atos de vandalismo e agrediram os policiais. “Não posso deixar de registrar meu repúdio aos atos de vandalismo presenciados durante a votação, dentro e fora da Alesp. Depredação do patrimônio público, intimidação aos parlamentares, agressão a policiais e desrespeito à democracia”, escreveu. 

Confira as postagens de João Doria sobre o assunto. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247