Doria diz para Bolsonaro “governar o Brasil” e parar de pensar em “interesses políticos e ideológicos”

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), disparou novas críticas Jair Bolsonaro, que segundo ele, governa para fins pessoais e sabota a produção da vacina CoronaVac

João Doria e Jair Bolsonaro
João Doria e Jair Bolsonaro (Foto: GOVSP | Alan Santos/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governador de São Paulo, João Doria, disparou em suas redes sociais nesta terça-feira (27) novas críticas Jair Bolsonaro, que segundo ele, governa para fins pessoais e sabota a produção da vacina CoronaVac. 

“O presidente Bolsonaro segue sendo um desinformado. São Paulo não fez e não fará nenhum aumento de imposto. Fizemos sim a reforma administrativa que ele, Bolsonaro, não teve coragem de fazer no plano federal”, disse Doria. 

Ele seguiu suas críticas: “Se Bolsonaro ficasse mais preocupado em governar e menos em atacar adversários, poderia fazer algo de útil para o País. Governe para o Brasil, Bolsonaro, e não para seus interesses políticos e ideológicos”.

Saiba mais 

Em conversa com apoiadores, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (27) que São Paulo dava "péssimo exemplo" e era preciso "tirar o PCdoB" do governo do Maranhão. 

O governador maranhense é Flávio Dino (PCdoB), que se elegeu pela primeira vez em 2014 e se reelegeu quatro anos depois, em 2018. 

“Tem que tirar o PCdoB de lá, pelo amor de Deus. Só aqui no Brasil mesmo comunista falando que é democrático", disse Bolsonaro, na entrada do Palácio da Alvorada, segundo publicado pelo site Poder 360. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247