Flávio Bolsonaro vai ao STF para tentar manter foro privilegiado

Investigado no caso da rachadinha, senador pede para que o Supremo rejeite pedido do MP-RJ para devolver o caso à primeira instância. Pedido foi endereçado a Gilmar Mendes, que é relator da ação, mas hoje foi endereçado ao presidente da Corte, Dias Toffoli, devido ao recesso

www.brasil247.com -
(Foto: REUTERS/Adriano Machado)


247 - O senador Flávio Bolsonaro, investigado pelo esquema da rachadinha que acontecia em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), quando era deputado estadual, recorreu ao Supremo Tribunal Federal para tentar manter o foro privilegiado.

O pedido foi endereçado ao ministro Gilmar Mendes, que é relator da ação no Supremo, mas hoje foi endereçado ao presidente da Corte, Dias Toffoli, quem faz julgamento de casos urgentes durante o recesso do Judiciário.

O recurso é para que o STF rejeite um pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), que comanda a investigação, para que o processo seja enviado de volta à primeira instância.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em outro pedido, além do MP-RJ, o partido Rede Sustentabilidade também recorreu ao Supremo com o mesmo propósito. O ministro Celso de Mello levou o caso ao plenário.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email