Isa Penna: “O pior é que a maioria de nós tem que conviver diariamente com seus assediadores”

Vítima de assédio no plenário da Alesp, a deputada estadual Isa Penna (PSOL-SP), em entrevista ao economista Eduardo Moreira, contou sobre o caso e a desconfiança que existe sobre as vítimas: ‘Imagina se não tivesse sido gravado’. Assista

(Foto: Mauricio Garcia de Souza/ALESP)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em entrevista ao economista Eduardo Moreira, do Instituto Conhecimento Liberta, a deputada estadual Isa Penna (PSOL-SP), recentemente vítima de assédio cometido pelo deputado Fernando Cury (Cidadania) em pleno trabalho, abordou o sofrimento causado por esse crime à maior parte das mulheres.

“Eu sei que 95% das mulheres já foram assediadas. Isso é verdade, porque é a minha vivência, é a vivência de todas as mulheres que eu conheço. Mas não vemos nenhum homem dizendo: ‘Olha, de fato, eu acho que assediei”, analisa Isa Penna.

Isa exemplificou como o assédio acontece de uma maneira corriqueira. “A mulher sofre assédio no transporte público, na balada querendo se divertir, na escola, na universidade, esse tipo de assédio que eu passei, em todos os lugares. A gente se sente mal, chora. O pior é que a maioria de nós tem que conviver diariamente com seus assediadores”, desabafa.

A deputada ainda alertou para a necessidade de falar sobre o tema e de não desmerecer as vítimas. “A questão é que meu caso foi gravado e ele ganhou força também porque as mulheres estão cansadas da dificuldade de não conseguir reagir, de ser desacreditada. Imagina se eu tivesse sofrido o assédio e ele não tivesse sido gravado. Eu não teria o vídeo para mostrar”, finaliza a deputada.

Assista na íntegra a entrevista com Isa Penna:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email