Para Haddad, reforma da previdência de Doria é mais cruel que a de Bolsonaro

"Ele [Doria] não quer saber o que pode fazer pelo estado. Ele só quer mostrar para a classe dominante que ele é 'melhor' que o Bolsonaro", afirmou Fernando Haddad durante participação em reunião organizada pelo deputado Emídio de Souza

Denúncia oferecida contra Fernando Haddad é inepta, vazia e leviana
Denúncia oferecida contra Fernando Haddad é inepta, vazia e leviana (Foto: REUTERS/Rodolfo Buhrer)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-prefeito de São Paulo e ex-candidato a presidente, Fernando Haddad, participou em Osasco neste domingo (8) de reunião organizada pelo deputado estadual Emidio de Souza (PT-SP). 

Na ocasião, Haddad comentou a decisão do desembargador Alex Zilenovski de suspender a tramitação da Reforma da Previdência estadual, enviada pelo governador João Doria à Assembleia Legislativa (leia mais no Brasil 247).

Em seu discurso, Haddad falou que Doria tenta agradar os mais ricos mostrando que é mais "cruel". "Ele [Doria] não quer saber o que pode fazer pelo estado. Ele só quer mostrar para a classe dominante que ele é 'melhor' que o Bolsonaro (...) 'Olha como eu sou cruel que o Bolsonaro, que eu sou mais duro que o Bolsonaro'", contou.

O ex-candidato também falou sobre a forma açodada que o governador tem tocado o processo. "O Doria está atropelando as coisas. Tudo que ele faz é no atropelo", afirmou.

Para Haddad, a decisão do desembargador impediu mais um arbítrio. "Isso não pode. Ainda estamos numa democracia, que está ameaçada todo dia, tanto pelo governo estadual quanto pelo governo federal", disse.

Assista:


O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247