CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Sudeste

Quartel em Juiz de Fora mantém reverência a golpe de 1964 e Comando do Exército não intervém

Em nota, o Exército evitou rotular os eventos de 31 de março como um golpe, destacando que eles são "um fato histórico enquadrado em uma conjuntura de 60 anos atrás"

Militares (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Apesar das manifestações populares repudiando a ditadura iniciada em 1964 no Brasil, o quartel em Juiz de Fora (MG) de onde partiram as primeiras tropas para a execução do golpe mantém sua reverência ao episódio histórico, com a conivência do Comando do Exército.

A decisão do Comando do Exército em não intervir na homenagem ao dia 31 de março, data emblemática do golpe militar, foi noticiada pelo jornal Estado de Minas. Em nota, o Exército evitou rotular os eventos como um golpe, destacando que eles são "um fato histórico enquadrado em uma conjuntura de 60 anos atrás".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"O Exército está focado no cumprimento da sua missão constitucional e busca elevar a qualidade da execução das suas tarefas, colimando seus esforços na modernização da Força e nos desafios do futuro", afirmou o órgão. Os ministérios da Defesa e de Direitos Humanos e Cidadania não se manifestaram sobre o caso.

A homenagem ao 31 de março é ostensivamente exibida na antiga sede da 4ª Região Militar, agora ocupada pela 4ª Brigada de Infantaria Leve de Montanha. A própria unidade se autodenomina "Brigada 31 de Março", justificando o nome pelo "papel decisivo e corajoso na eclosão da revolução democrática", terminologia ainda utilizada por alguns setores militares para se referir ao golpe.

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados

Carregando os comentários...
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO