Justiça determina busca e apreensão na casa de Sergio Moro

O motivo são materiais de campanha irregulares, que violam a legislação eleitoral

www.brasil247.com - Sergio Moro
Sergio Moro (Foto: Reuters/Adriano Machado)


247 - A Justiça Eleitoral cumpriu, na manhã deste sábado (3), mandados de busca e apreensão de materiais de campanha irregulares na casa do ex-juiz declarado parcial pelo Supremo Tribunal Federal Sergio Moro (União Brasil), candidato ao Senado pelo Paraná. As informações são do advogado Luiz Eduardo Peccinin, da Federação Brasil da Esperança, do Paraná, que foi quem entrou com um pedido na justiça, de acordo com a coluna de Mônica Bergamo, publicada neste sábado (3). 

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná tomou a decisão porque vários materiais impressos da campanha violam a legislação eleitoral. 

O advogado informou que as redes sociais de Moro têm publicado propaganda irregular. Segundo Peccinin, foram excluídos vídeos do canal de Moro do YouTube, inclusive aqueles com críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e dezenas de links nas páginas sociais de sua campanha.

Moro tem sofrido sucessivas derrotas depois que deixou a antiga Operação Lava Jato. Além de o STF ter anulado as condenações de Lula, em decisão no primeiro semestre do ano passado, o ex-juiz foi derrotado em junho no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SP) - o órgão decidiu que Moro não poderia ser candidato pelo estado de São Paulo por fraude em domicílio eleitoral

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247