Tá nos trends

Após criticar decisão de Moraes, Glenn Greenwald vira novo queridinho de bolsonaristas nas redes

Nas redes, bolsonaristas dizem que jornalista “destruiu a esquerda” ao criticar decisão de Moraes em defesa da democracia

www.brasil247.com - Alexandre de Moraes e Glenn Greenwald
Alexandre de Moraes e Glenn Greenwald (Foto: Carlos Moura/SCO/STF | Edilson Rodrigues/Agência Senado)


247 - Após o jornalista estadunidense Glenn Greenwald, que atuou na Vaza Jato, ação jornalística que revelou as fraudes da Lava Jato, atacar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, bolsonaristas o elegeram nas redes como o “novo queridinho do momento”.

"Existe agora, ou já existiu, uma democracia moderna onde um único juiz exerce o poder que Alexandre de Moraes possui no Brasil? Não consigo pensar em nenhum exemplo sequer próximo", postou Glenn.

Além disso, Glenn também saiu em defesa de Monark com o argumento da “liberdade de expressão”, que ganhou destaque na mídia após fazer a defesa da legalização de partidos nazistas. 

Greenwald o entrevistou em seu canal na plataforma Rumble o podcaster Monark, após o ex-youtuber ser retido na internet.

A reação dos extremistas foi imediata: 

“Glenn Greenwald está levando ao mundo as informações sobre a onda de censura imposta no Brasil que derrubou Nikolas Ferreira, Bárbara. a Prof. Paula, José Medeiros e outros”, elogiou uma extremista.

Já outro militante bolsonarista disse que a atitude de Glenn serviu para “abalar a esquerda de forma histórica”.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247