Lula voltou a ser visto como aquilo que de fato é: a representação do centro democrático no Brasil

"Não por acaso, o ex-presidente recebeu acenos do MST e da Faria Lima, logo após sua entrevista à mídia independente", escreve o jornalista Leonardo Attuch

www.brasil247.com - Lula
Lula (Foto: Ricardo Stuckert)


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderá vir a ser, em 2022, o candidato do MST, dos trabalhadores, dos pequenos e médios empresários, dos agricultores familiares, do agronegócio comprometido com a sustentabilidade, dos militares nacionalistas e até mesmo da Faria Lima. Foi o que ficou claro após sua primeira entrevista coletiva de 2022, concedida aos veículos da mídia independente, aquela que se financia por meio de seus leitores e da publicidade programática, decorrente da audiência de seus sites. Entre estes veículos, o próprio 247.

Na prática, Lula voltou a ser percebido pela sociedade brasileira como aquilo que sempre foi: a representação real de um centro democrático, que é capaz de coordenar os interesses de todos os setores da sociedade, em busca do bem comum. Foi exatamente esta habilidade que fez de seus governos os mais bem-sucedidos da história do Brasil, quando o Brasil chegou perto de beliscar o posto de quinta maior economia do mundo. A guerra judicial empreendida contra o Partido dos Trabalhadores, conduzida pelo ex-juiz suspeito Sérgio Moro a serviço de inconfessáveis interesses internacionais e também locais, fez com que o Brasil despencasse para a décima-terceira posição.

Não por acaso, o dia seguinte à entrevista de Lula trouxe duas notícias aparentemente contraditórias: o apoio do MST à chapa Lula-Alckmin e o reconhecimento da Faria Lima de que a queda do dólar e da curva de juros se deve à fala sensata do ex-presidente na sua entrevista coletiva. Lula é exatamente a peça capaz de representar um governo de conciliação de classes e concertação nacional, em busca de um desenvolvimento inclusivo e para todos – e não apenas para os grupos mais fortes e violentos da sociedade brasileira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outro ponto positivo foi o reconhecimento pela imprensa corporativa, aquela que depende do grande capital, em relação ao papel desempenhado pelos jornalistas profissionais da mídia independente. Além disso, a entrevista de Lula, preparada por Ricardo Stuckert e conduzida por José Chrispiniano, foi também um exemplo de profissionalismo por parte dos seus organizadores. E engana-se quem imaginava que ali haveria uma "imprensa amiga" ou controlada pelo ex-presidente. Lula foi confrontado com perguntas difíceis, sobre temas delicados, como a aliança com Geraldo Alckmin, a retomada da industrialização, a questão militar e, como fez Mauro Lopes, do 247, a necessidade de uma maior representação de negros, mulheres e povos indígenas em seu eventual terceiro governo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em todas as questões, Lula se saiu bem, sem ficar em cima do muro. Deixou claras suas posições e destacou que hoje enxerga o que há de melhor nos indivíduos e nas instituições. Por isso mesmo, caso seja eleito, Lula estará pronto para conduzir uma das mais belas experiências políticas da história da humanidade: a reconstrução de uma das mais importantes e admiradas nações do mundo, que foi colocada à beira do abismo por uma guerra híbrida após a descoberta do pré-sal e pela irracionalidade de setores de sua própria classe dominante. Nesta disputa, só há duas opções: a construção da civilização brasileira ou a barbárie e a desintegração nacional. Lula representa a primeira.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Este artigo não representa a opinião do Brasil 247 e é de responsabilidade do colunista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email