Após Venezuela enviar 107 profissionais, governo Bolsonaro amplia Mais Médicos de forma emergencial em Manaus

A proposta do governo federal para Manaus, que sofre com o colapso na saúde, abre 72 vagas para médicos atuarem na cidade "em razão da situação de emergência ocasionada pela pandemia novo Coronavírus (Covid-19)". Criticado por Jair Bolsonaro, o programa Mais Médicos foi criado pelo governo Dilma Rousseff

(Foto: ABr | Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, publicou nesta terça-feira (19) uma portaria no Diário Oficial da União (DOU) uma autorizando para a "ampliação emergencial e temporária" do Programa Mais Médicos na capital amazonense. A medida, válida para o período de um ano, será aplicada após o governo venezuelano, comandado por Nicolas Maduro, enviar 107 médicos da Brigada Simón Bolívar para ajudar no combate à pandemia de Manaus.

Criticado por Jair Bolsonaro, o programa foi criado em 2013 pelo governo da então presidente Dilma Rousseff para ampliar o atendimento na área de saúde principalmente nas cidades do interior dos estados.

A proposta da atual gestão para Manaus abre 72 vagas para médicos atuarem na cidade "em razão da situação de emergência ocasionada pela pandemia novo Coronavírus (Covid-19)". A portaria ainda atende "decisões liminares proferidas nos autos da ADI nº 6625 e ADPF nº 756 pelo Ministro do STF Ricardo Lewandowski".

Seguindo determinação do ministro do STF Ricardo Lewandowski, a Advocacia-Geral da União (AGU) enviou um ofício à Corte revelando que o governo federal sabia do iminente colapso do sistema de saúde no Amazonas 10 dias antes da crise.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email