Bolsonaro ataca ministros do STF e TSE: 'querem me tornar inelegível e eleger seu candidato'

Em entrevista à Jovem Pan, Jair Bolsonaro, que está em Moscou, voltou a usar a narrativa da "canetada" do Judiciário contra ele

www.brasil247.com - Ministros do STF Luís Roberto Barrosso, Edson Fachin, e Alexandre de Moraes, e Jair Bolsonaro
Ministros do STF Luís Roberto Barrosso, Edson Fachin, e Alexandre de Moraes, e Jair Bolsonaro (Foto: ABr | Alan Santos/PR)


247 - Após criticar várias vezes instituições como o Supremo Tribunal Federal (STF) e fazer ameaças de golpe, Jair Bolsonaro (PL) afirmou, nesta quarta-feira (16), que ministros da Corte querem torná-lo inelegível, mas "na base da canetada", segundo ele. 

"Agora, o que fica da ação desses três ministros do STF, me parece que eles têm um interesse, né? Primeiro, buscar uma maneira de me tornar inelegível, na base da canetada. A outra, é eleger o seu candidato", disse em entrevista à Jovem Pan.

Bolsonaro fez referência aos ministros Alexandre de Moraes, Edson Fachin e Luís Roberto Barroso, que também ocupam cargos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Lamentavelmente, isso cada vez mais se torna bastante transparente para todo o Brasil (...) e a ação desses três ministros contro [o aplicativo de mensagem] Telegram? Baseado em quê? Fake news? Mentiras? Isso daí é muito esquisito", acrescentou, em seguida", disse. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Investigações

Bolsonaro é alvo de investigação no STF no âmbito do inquérito que investiga a atuação de milícias digitais. No começo do mês, Moraes autorizou o compartilhamento de provas do inquérito sobre o vazamento de dados sigilosos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por Bolsonaro com as investigações sobre a atuação de uma milícia digital contra a democracia e instituições, como o próprio STF.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ministro também determinou que a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifeste, em 15 dias, acerca do relatório apresentado pela Polícia Federal (PF) sobre a 'live', de  29 de julho do ano passado, quando Bolsonaro divulgou informações falsas sobre as urnas eletrônicas.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email