Em Campo Grande, polícia repreende manifestantes que gritavam contra Bolsonaro

O ocupante do Planalto foi à capital sul-mato-grossense para entregar títulos de terras a cerca de 300 famílias de assentados. Ele foi recebido sob protestos e, mais uma vez, atacou o ex-presidente Lula, líder nas pesquisas

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Forças de segurança utilizaram gás lacrimogênio nesta sexta-feira (4) para dispersar manifestantes que protestavam contra Jair Bolsonaro em Campo Grande.

O ocupante do Palácio do Planalto viajou ao Mato Grosso do Sul para entregar títulos de terras a cerca de 300 famílias de assentados, em Terrenos (MS), cidade vizinha a Campo Grande.

O grupo de manifestantes partiu da capital sul-mato-grossense e tentou ultrapassar uma barreira montada em uam etsrada que dá acesso ao assentamento Santa Mônica, em Terenos.

O bloqueio foi feito por equipes do Choque da Policia Militar, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal. Não houve registro de pessoas feridas ou detidas.

Com medo, Bolsonaro ataca Lula mais uma vez

De olho em 2022 e sabendo das pesquisas, que mostram o ex-presidente Lula com uma força imensa para disputar a presidência, Bolsonaro mais uma vez atacou o petista. "Um bandido foi posto em liberdade e tornado elegível, no meu entender, para ser presidente na fraude. Ele só ganha na fraude no ano que vem", afirmou.

Última pesquisa Datafolha, no entanto, aponta para a possibilidade de o ex-presidente Lula ganhar a eleição já no primeiro turno.

Inscreva-se no canal de cortes da TV 247 e saiba mais:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email